Pragas Urbanas

As pragas urbanas transmitem muitas doenças e causam grandes prejuízos econômicos. Nesta página você encontrará algumas informações específicas a respeito das principais pragas urbanas. 

Fonte: Site Syngenta; Bayer e Pragas Online

Ácaro
Ácaro

BIOLOGA Tamanho: 0,05mm Coloração: Esbranquiçado Postura: 50 ovos durante a vida Reprodução: sexuada Alimentação: Pele descamada (seca), fibras de tecido, pólen e fungos presentes no ambiente ABRIGOS - Colchões - Travesseiros - Tapetes - Carpetes - Cortinas - Roupas - Ambientes úmidos, etc. PROBLEMAS RELACIONADOS AOS ÁCAROS Alergias respiratórias e cutâneas promovidas pelas fezes dos ácaros e pela pele que soltam quando sofrem muda. A muda, ou troca de pele, permite o crescimento do ácaro.

Aranha Armadeira
Aranha Armadeira

BIOLOGA Tamanho: 9 - 17cm de envergadura Coloração: acinzentado ao castanho Reprodução: sexuada Alimentação: Insetos e outros artrópodes ABRIGOS - touceiras de bananeiras - terrenos baldios - residências PREVENÇÃO E CONTROLE Limpeza periódica do peridomicílio, evitando-se acúmulo de materiais como lenha, tijolos, pedras para evitar alojamento e proliferação. Cuidados de higiene das residências, manejo adequado do lixo, vedação da soleira das portas são medidas gerais auxiliares

Aranha Caranguejeira
Aranha Caranguejeira

BIOLOGIA Tamanho: 6cm e 15cm de envergadura Coloração: acinzentadas ou marrom avermelhadas Reprodução: sexuada Alimentação: insetos, aves, mamíferos e pequenos répteis ABRIGOS - Constroem tocas como refúgios. - Matas, praias, desertos, etc. PREVENÇÃO E CONTROLE - limpeza periódica de terrenos, jardins, quintais, interior das residências (vãos, cantos, forros, porões e etc.).

Aranha Marrom
Aranha Marrom

BIOLOGIA Tamanho: 6cm e 12cm Coloração: castanho Postura: 40-50 ovos Reprodução: sexuada Alimentação: pequenos artrópodes ABRIGOS - Sob cascas de árvores - Folhas secas - Residências (atrás de quadros, móveis, etc.) PREVENÇÃO E CONTROLE A aranha provoca acidentes quando comprimida; deste modo, é comum o acidente ocorrer enquanto o indivíduo está dormindo ou se vestindo, sendo o tronco, abdômen, coxa e braço os locais de picada mais comuns.

Aranha Viúva Negra
Aranha Viúva Negra

BIOLOGIA Tamanho: Fêmea – 2 cm de envergadura Macho – 3 mm de comprimento Coloração: Corpo preto com uma mancha vermelha em forma de ampulheta no ventre ou então manchas vermelhas no dorso do Postura 185-464 ovos Reprodução: sexuada Alimentação: pequenos artrópodes ABRIGOS - Jardins, beirais de casas, etc. PREVENÇÃO E CONTROLE - Limpeza periódica de terrenos, jardins, quintais, interior das residências (vãos, cantos, forros, porões e etc.). - Inspeção das vestimentas

Barata do esgoto
Barata do esgoto

PREVENÇÃO - Utilização de ralos protetores; - Evitar acúmulo de materiais; - Manter jardins e canteiros conservados; - Inspecionar a entrada de materiais; - Manter limpo os ambientes. DOENÇAS TRANSMITIDAS E PATÓGENOS VEICULADOS: - Bactérias - Vírus - Esporos de fungos - Alergias - Salmonella - Diarréia - Desinteria

Blatella Germânica
Blatella Germânica

BIOLOGIA Tamanho: 15-20mm Longevidade: 128 a 153 dias Coloração: caramelo Postura 37 ovos por ooteca Reprodução: sexuada Alimentação: onívora ABRIGOS - Depósitos de alimentos e embalagens - Fornos, estufas, geladeiras, freezers, coifas, motores elétricos. - Dutos de eletricidade - Sob pias e bancadas - Frestas na alvenaria - Gabinetes e armários embutidos - Divisórias PREVENÇÃO - Vedação de frestas; - Utilização de ralos protetores; - Guardar alimentos em recipientes fechados;

Barbeiro
Barbeiro

BIOLOGIA Tamanho: 1mm Coloração: corpo escuro Postura: 15 a 200 ovos Reprodução: sexuada Alimentação: alimenta-se intermitentemente de hospedeiros de sangue quente, como humanos, gado, ovelha, ratos, cães e outros mamíferos ABRIGOS - Currais - Chiqueiros - Terrenos arenosos - Praias, etc. PREVENÇÃO - Evitar andar descalço - Não ter contato direto com locais comumente infestados por Tunga penetrans DOENÇAS TRANSMITIDAS E PATÓGENOS VEICULADOS: - Infecção

Bicho de pé
Bicho de pé

BIOLOGIA Tamanho: 1mm Coloração: corpo escuro Postura: 15 a 200 ovos Reprodução: sexuada Alimentação: alimenta-se intermitentemente de hospedeiros de sangue quente, como humanos, gado, ovelha, ratos, cães e outros mamíferos ABRIGOS - Currais - Chiqueiros - Terrenos arenosos - Praias, etc. PREVENÇÃO - Evitar andar descalço - Não ter contato direto com locais comumente infestados

Broca de madeira
Broca de madeira

BIOLOGIA As brocas de madeira são pequenos besouros que se alimentam de madeira. Embora eles vivam relativamente pouco tempo (algumas espécies só vivem 24 horas na forma adulta), elas depositam seus ovos em frestas existentes na madeira ou podem fazer elas mesmas os locais de oviposição (depende da espécie). As larvas do inseto eclodirão dos ovos e poderão formar galerias por toda a madeira até se tornarem adultos, quando então sairão da madeira infestada para novamente ovipositar.

Grilo Toupeira ou Paquinhas
Grilo Toupeira ou Paquinhas

As paquinhas escavam túneis logo abaixo da superfície do solo e criam câmaras, onde depositam seus ovos. Uma fêmea é capaz de produzir cerca de 200 ovos, distribuídos em 3 ou 4 câmaras, do tamanho de um ovo de galinha. As paquinhas tem hábito noturno, quando podem sair para se alimentar. Se alimentam de matéria orgânica, o que inclui outros insetos, raízes e pequenas brotações. Causam grandes danos aos gramados, fragilizando as raízes e secando em uma área circunscrita.

Caramujo
Caramujo

BIOLOGIA Tamanho: geralmente, de 1cm a 27cm de altura Alimentação: várias espécies de plantas, e alguns se alimentam de minhocas ou outros caracóis e lesmas. DOENÇAS O caramujo-gigante-africano, em vida livre, transmite o verme Angistrongylus cantonensis, que causa a angistrongilíase meningoencefálica, doença que acomete o sistema nervoso central. Um outro problema ocasionado por caramujos é a esquistossomose.

Carrapato
Carrapato

BIOLOGIA Tamanho: variado Alimentação: sangue Os carrapatos são parasitas externos (ectoparasitas) de animais domésticos, silvestres e do homem. Atualmente, são conhecidas cerca de 800 espécies de carrapatos em todo o mundo parasitando mamíferos, aves, répteis ou anfíbios. São considerados como de grande importância pelo papel que desempenham como vetores de microrganismos patogênicos incluindo bactérias, protozoários, rickétsias, vírus, etc.

Cochonilha
Cochonilha

BIOLOGIA Tamanho: variável Coloração: pode ser branca, marrom, avermelhada, verde ou enegrecida. Postura: variável Reprodução: Ovípara, ovovivípara, vivípara Alimentação: Alimentam da seiva das plantas. ABRIGOS - Nas axilas das folhas - Sob as folhas - Nos ramos e troncos das árvores - Nos frutos e raízes. PREVENÇÃO - Não permitir a entrada de plantas infestadas em locais com plantas sadias.

Cupim de madeira
Cupim de madeira

BIOLOGIA Os cupins de madeira seca são cupins que vivem em madeira com relativamente baixo teor de umidade. A própria madeira e o ambiente em que vivem provêem a umidade que necessitam para sobreviver. Quando infestam peças que são móveis, o ataque é discreto, podendo formar colônias completas no interior da peça, mesmo as de menor tamanho.

Cupim subterrâneo
Cupim subterrâneo

BIOLOGIA Os cupins subterrâneos são assim denominados por construírem seus ninhos no solo. Ele também faz seus ninhos em vãos estruturais, como: caixões perdidos em edifícios, vãos entre lajes, paredes duplas, ou qualquer outro espaço confinado que exista em uma estrutura. O sinal típico de ataque dos cupins subterrâneos são os caminhos (túneis) que eles fazem sobre a alvenaria ou outro material. Feitos de terra, fezes e saliva, estes cupins constroem verdadeiros túneis.

Escorpião amarelo
Escorpião amarelo

BIOLOGIA Tamanho: 60-65mm Coloração: amarelada. Reprodução: partenogênese (óvulos se desenvolvem gerando filhotes sem necessidade de fecundação, basta que a fêmea encontre calor e alimentação) Alimentação: Baratas e outros insetos CURIOSIDADE: A reprodução dos escorpiões difere quanto ao tipo. No escorpião amarelo ela se dá por partenogênese, isto é, os óvulos se desenvolvem originando um novo indivíduo sem a necessidade de uma fecundação.

Escorpião preto
Escorpião preto

BIOLOGIA Tamanho: 60-65mm Coloração: castanho escuro Postura: de 15 a 20 filhotes Reprodução: cruzada, havendo para isto a necessidade do encontro de machos e fêmeas em períodos determinados do ano. Alimentação: Baratas e outros insetos CURIOSIDADE: Nos escorpiões pretos, ao contrário dos amarelos, a reprodução é cruzada, havendo para isto a necessidade do encontro de machos e fêmeas em períodos determinados do ano. ABRIGOS - atrás de vasos sanitários - roupas para lavar/passar - batentes de

Formiga Argentina
Formiga Argentina

BIOLOGIA Tamanho: 2,2-2,6mm / rainhas: 4-6mm Coloração: varia de claro a marrom escuro Postura: dezenas a centenas de ovos/dia Reprodução: sexuada As colônias dessa espécie têm muitas rainhas, e podem ter milhares de operárias. Os ninhos podem ser encontrados dentro e fora de casa e são vistas durante o dia, mas também são ativas no período noturno. Essas formigas se alimentam de uma série de alimentos, mas tem preferência por doces. ABRIGOS - Batentes de portas - Janelas - Cascas de árvores,

Formiga Cortadeira
Formiga Cortadeira

BIOLOGIA Tamanho: 1,5 – 24mm Longevidade: Operárias – 2 a 6 meses; rainhas – 20 anos Coloração: avermelhada Postura: dezenas de ovos/dia Reprodução: sexuada Alimentação: coleta vegetais para a produção de um fungo que lhes servem de alimento. ABRIGOS - Gramados - Canteiros - Calçadas - Praças - Jardins

Formiga Carpinteira
Formiga Carpinteira

BIOLOGIA Tamanho: 1,5 – 20mm Coloração: marrom amarelado ao preto Reprodução: sexuada Alimentação: alimentos humanos diversos e artrópodes pequenos Os ninhos principais, com a presença da(s) rainha(s) são localizados geralmente nas áreas externas das residências, como em árvores e no jardim. Ninhos satélites, ligados ao ninho principal ocorrem geralmente dentro das residências, principalmente associados a estruturas de madeira como armários, forros, batentes de portas, janelas e rodapés.

Formiga Faraó
Formiga Faraó

BIOLOGIA Tamanho: 1,5 – 2,0mm / rainhas 4mm Coloração: amarelo a marrom claro Reprodução: sexuada Alimentação: todo o tipo de alimento humano e artrópode As formigas do faraó são difíceis de se controlar. Geralmente infestam a casa toda, e parecem se alimentar todas as horas do dia e da noite. ABRIGOS - Pias de cozinhas - Banheiro - Tanques de lavar roupa - Aparelhos eletrônicos

Formiga Faraó
Formiga Faraó

BIOLOGIA Tamanho: 1,5 – 20mm Coloração: marrom amarelado ao preto Reprodução: sexuada Alimentação: alimentos humanos diversos e artrópodes pequenos Estas formigas são caracterizadas pela coloração enegrecida do tórax e cabeça e pernas e abdomem transparentes. Elas invadem casas, pois sua alimentação preferida são os doces – quando isso não é possível, comem insetos vivos ou mortos e a substância açucarada produzida por insetos sugadores. ABRIGOS - Pias de cozinhas - Banheiro - Tanques de lavar

Formiga Lava-pés
Formiga Lava-pés

BIOLOGIA Tamanho: 3,0 – 7,0MM Coloração: marrom avermelhado ao preto Postura: dezena de ovos/dia As formigas lava-pés, são freqüentes nos jardins, calçadas e até mesmo dentro de casa. Os ninhos podem ser visualizados após períodos de chuva. A maioria das pessoas, quando picadas por formigas lava-pés, queixa-se de ardência local seguida de um surgimento de pequena bolha d’água. No entanto, em um número reduzido da população, a picada pode ocasionar um choque anafilático.

Formiga Louca
Formiga Louca

BIOLOGIA Tamanho: 2,2 – 3,0mm Coloração: marrom escura a preta Reprodução: sexuada Alimentação: todo o tipo de alimento humano e artrópode ABRIGOS - Pias de cozinhas - Banheiro - Sob pedras - Jardins - Caixa de registros de água - Calçadas, etc.

Formiga quenquém
Formiga quenquém

BIOLOGIA Tamanho: 2,0 – 10,5mm Coloração: variável Postura: dezenas de ovos/dia Reprodução: sexuada Alimentação: Cortam vegetais que servem para a produção de um fungo que lhes servem de alimento ABRIGOS - Gramados - Canteiros - Calçadas - Praças - Jardins

Formiga Saúva
Formiga Saúva

BIOLOGIA Tamanho: 1,5 – 6mm Coloração: marrom amarelado ao preto Reprodução: sexuada Alimentação: alimentos humanos diversos e artrópodes pequenos ABRIGOS - Paredes que dão face para a área externa das residências, frestas de calçadas e jardins

Lacraia
Lacraia

BIOLOGIA Tamanho: variado, até 20cm de comprimento Coloração: variada Alimentação: herbívoros ou carnívoros As lacraias possuem veneno, o qual utilizam para paralisar a presa, geralmente pequenos insetos. Alguns gêneros de lacraias costumam ocasionar acidentes com maior freqüência no homem. O indivíduo acidentado sente dor localizada intensa e a evolução da picada depende da sensibilidade da vítima ao seu veneno. ABRIGOS - Jardins - Folhas - Cascas de árvores - Locais úmidos

Lagartixa
Lagartixa

A lagartixa, um pequeno lagarto, gruda nas paredes das casas, atrás de pequenos insetos como as lagartas, formigas, moscas, percevejos, besouros e mosquitos que habitam essas casas. São muito importantes para o meio ambiente porque, como insetívoros, funcionam como "controladores" de pragas domésticas. Suas fezes muitas vezes são confundidas com as de rato pois são pretas e em forma de capsulas, a diferença é são crespas e com um ponta branca que geralmente se desprende da preta.

Marimbondo
Marimbondo

Habitam áreas rurais e urbanas, possuem hábito diurno e alimentam-se de insetos como cupins, formigas, lagartas, gafanhotos, aranhas e mosquitos, entre eles o Aedes egypti, transmissor da dengue. As casas são semelhantes às das abelhas. Elas são divididas em favos (células hexagonais), que servem como depósito de uma substância feita a partir de larvas de pequenos insetos. Esse mel tem aparência escura e é produzido para consumo interno dos marimbondos.

Mariposa
Mariposa

As mariposas ou traças são insetos lepidópteros da divisão dos heteróceros, que reúne espécies de vôo noturno, com antenas filiformes ou pectinadas. Em algumas regiões, os espécimes de maior tamanho e de coloração escura são chamados de bruxas

Morcego.jpg
Morcego.jpg

Os morcegos têm a dieta mais variada entre os mamíferos, pois podem comer frutos, sementes, folhas, néctar, pólen, artrópodes, pequenos vertebrados, peixes e sangue3 . Cerca de 70% dos morcegos são insetívoros, alimentando-se de insetos, sendo praticamente todo o restante frugívoros, ou seja, alimentam-se de frutas. Somente três espécies se alimentam exclusivamente de sangue: são os chamados morcegos hematófagos ou vampiros, encontrados apenas na América Latina.

Mosca das Frutas
Mosca das Frutas

BIOLOGIA Tamanho: 3 a 4mm Coloração: Asas rajadas e corpo com colorações contrastantes, como o amarelo e o preto Postura: 500 ovos Alimentação: Frutas e matéria orgânica em decomposição. São pequenas e geralmente encontradas na cozinha ou na dispensa. Estas moscas são ativas quase o ano todo, sendo mais encontradas no verão e outono. São atraídas por frutas e vegetais, e algumas espécies também são atraídas por material orgânico que está deteriorando.

Mosca do Ralo
Mosca do Ralo

BIOLOGIA Tamanho: 1,5 a 5mm Longevidade: 2 semanas Coloração: acinzentada Postura: 30 a 100 ovos Alimentação: fungos que se desenvolvem nos locais de criação Moscas pequenas e cinzentas. O adulto costuma voar não muito longe do local infestado, que geralmente é um ralo. As infestações mais freqüentes são nas tubulações dos encanamentos, em especial os que têm muito material orgânico. Geralmente é encontrada próximo ao ralo do chuveiro.

Mosca Doméstica
Mosca Doméstica

A espécie convive facilmente com os humanos, com tendência a agregar-se, ainda que sejam insetos pouco sociais. As moscas-domésticas podem ser portadoras de enfermidades infecto-contagiosas que podem transmitir ao alimentarem-se sobre alimentos humanos que contaminam. A via de contaminação dos alimentos é dupla: por contato das patas e do aparelho bucal ductor, particularmente através dos fluidos gástricos e restos de alimento anteriormente ingerido regurgitam antes de se alimentarem.

Mosca Varejeira
Mosca Varejeira

É também um problema de saúde pública porque, parasita animais domésticos e o homem. As moscas que produzem o berne não depositam seus ovos diretamente no hospedeiro, necessitam que outros insetos os veiculem até a vitima. Já as que produzem bicheira depositam seus ovos diretamente sobre a ferida da vítima. depositam os ovos nos tecidos vivos ou mortos de vertebrados ou substâncias orgânicas em decomposição.

Mosquito Aedes
Mosquito Aedes

É um mosquito que se encontra ativo e pica durante o dia, tem como vítima preferencial o homem e faz praticamente nenhum som audível antes de picar. Mede menos de 1 centímetro; é preto com manchas brancas no corpo e nas pernas. O seu controle é difícil, por ser muito versátil na escolha dos criadouros onde deposita seus ovos, que são extremamente resistentes, podendo sobreviver vários meses até que a chegada de água propicie a incubação.

Mosquito Culex
Mosquito Culex

Os pernilongos do gênero Culex são comuns nas habitações. Algumas espécies podem, ocasionalmente, transmitir filarioses, encefalites e doenças febris. O ciclo do seu desenvolvimento compreende-se em duas semanas e implica uma metamorfose. Os ovos podem ser colocados individualmente ou em grupos, de acordo com a espécie, os estágios da larvas ocorrem dentro da água e essas larvas alimentam-se de matéria orgânica e plantas que conduzem ao aumento do tamanho dos estágios sucessivos.

Percevejo de Cama
Percevejo de Cama

Alimentam-se de sangue humano, e como normalmente ficam escondidos durante o dia, picam as pessoas durante a noite (hábito noturno), principalmente quando elas estão dormindo. As camas são os locais mais comuns para esses insetos se alimentarem, se esconderem ou depositarem seus ovos. Além delas eles podem se abrigar em poltronas, cadeiras estofadas, fendas nas paredes e molduras, sob papel de parede, guarnições de portas, tomadas elétricas e pilhas de roupa. Põem de 100 a 250 ovos por fêmea.

Piolho
Piolho

de penas e secrecções sebáceas. Cada espécie tem uma relação exclusiva com um determinado tipo de hospedeiro, o que significa que, por exemplo, um piolho de ave não afecta humanos e vice-versa. Esta característica torna os piolhos muito dependentes do sucesso da espécie do hospedeiro. Os piolhos têm entre 0,5 e 8 mm de comprimento, corpo achatado e garras que lhes permitem a fixação ao hospedeiro. Os ovos do piolho, ou lêndeas, são esbranquiçados e postos na pelagem ou penas dos hospedeiros.

Piolho de Ave
Piolho de Ave

Você não precisa ter um pássaro de estimação para ser afetado por piolhos de aves. Um ninho infestado com essas pequenas criaturas pode estar mais perto do que você pensa. Se você encontrar-se atormentado por pequenas manchas vermelhas, coceira na pele, você pode ser vítima de piolhos das aves. Ao contrário de ácaros de aves, os piolhos delas são específicos da espécie. Isso significa que não procuram um ser humano para ser um hospedeiro adequado.

Piolho de cobra
Piolho de cobra

São animais herbívoros (Diferentemente dos Quilópodes) e detritívoros, isto é, se alimentam de detritos, como matéria vegetal morta. Quando se sentem ameaçados, os diplópodes enrolam-se, fingindo-se de mortos. Em outras situações, eliminam substâncias repelentes que afastam predadores, como o cianeto de hidrogênio. O corpo dos diplópodes é dividido somente em cabeça pequeno tórax e um longo abdômen segmentado.

Pombo doméstico
Pombo doméstico

Atualmente são vistos como animais sinantrópicos. Não há nenhum predador nas grandes cidades para este animal e sua reprodução é rápida, o que gera uma população cada vez maior, um grave problema ambiental ao homem, já que abrigam alguns parasitas que podem ser nocivos à saúde humana.

Pulga
Pulga

As pulgas são parasitas externos que se alimentam do sangue de mamíferos e aves. Estes animais podem transmitir doenças graves como o tifo e a peste bubónica. Elas afetam normalmente animais de estimação, como o gato, o cachorro, entre outros. Elas dependem do hospedeiro para se alimentarem e se protegerem, permanecendo toda a sua vida nestes e em outros animais. Além de provocarem incômodo pelas picadas, transmitem vermes, parasita hematófagos e podem induzir a processos alérgicos.

Pulgão
Pulgão

Os pulgões são insetos sugadores capazes de se multiplicar rapidamente, causando sério prejuízos econômicos para agricultores em geral. Das cerca de 4.000 espécies conhecidas, pelo menos 250 causam perdas agrícolas. Eles se alimentam da seiva das plantas, perfurando os vasos condutores. Além dos prejuízos diretos, os pulgões ainda são transmissores de doenças entre as plantas e favorecem o surgimento de fungos.

Rato Camundongo
Rato Camundongo

Mede de 8 a 9 cm, podendo pesar de 9 a 10 g. Possui uma vida média de 12 meses e já estão aptos à reprodução entre 42 e 45 dias. A gestação dura de 19 a 21 dias, com 5 a 6 ninhadas ao ano. Cada ninhada possui de 4 a 8 filhotes com média de sobrevivência de 30 filhotes após o desmame por fêmea/ano. Escalam com facilidade, abrigando-se em despensa, prateleiras de livros, roupeiros, rodapés, dentre outros. Necessitam se alimentar de 3gr/dia e possuem pouca exigência quanto ao consumo de água.

Ratazana ou rato do esgoto
Ratazana ou rato do esgoto

O adulto mede de 18 a 25 cm de comprimento. Possui uma vida média de 02 anos e já estão aptos à reprodução entre 60 a 90 dias de idade, a gestação dura de 22 a 24 dias, com 8 a 12 ninhadas ao ano. Cada ninhada possui de 8 a 12 filhotes com média de sobrevivência de 20 filhotes após o desmame por fêmea/ano. Seus ninhos geralmente são em tocas ou galerias de esgotos. Consomem de 20 a 30gr/dia de alimento e de 15 a 30ml de água/dia.

Rato Preto ou Rato de Telhado
Rato Preto ou Rato de Telhado

O adulto mede de 16 a 21 cm de comprimento. Possui uma vida média de 18 meses e já estão aptos à reprodução entre 60 a 75 dias de idade, a gestação dura de 20 a 22 dias, com 04 a 08 ninhadas ao ano. Cada ninhada possui de 07 a 12 filhotes com média de sobrevivência de 20 filhotes após o desmame por fêmea/ano. Seus ninhos são sótãos, dentro de forros de casas. Arbustos, frestas de muros, porões de navio e nas áreas portuárias. Consomem de 15 a 30gr/dia de alimento e de 15 a 30ml de água/dia.

Tatuzinho
Tatuzinho

Existem mais de 200 espécies de Crustáceos Isópodes terrestres, pertencentes à subordem Oniscidea, que se distribuem desde regiões litorâneas até desertos. Esses animais são popularmente conhecidos “tatuzinhos-de-jardim”, devido à capacidade que algumas espécies possuem de se enrolar. São animais que trazem muitos benefícios ao solo, sendo essenciais no processo de decomposição da matéria orgânica, além de ajudar na aeração e na retenção de umidade.

Tesourinha
Tesourinha

Possuem hábito preferencialmente noturno, sendo raramente vistas durante o dia. As pinças não possuem veneno e podem ser usadas para caçar insetos menores. Elas podem também apertar pele humana ou furar, mas não possuem veneno. Podem ser transportadas para dentro das casas através de pedaços de lenha e gostam de se esconder em fendas e rachaduras.

Traça das roupas
Traça das roupas

É a fase de lagarta que causa danos, já que o inseto adulto não pode comer, pois o seu aparelho digestivo é atrofiado. Se alimenta de diversos materiais, como lã, peles, penas e outros tecidos secos de animais. Esses tecidos são constituídos principalmente de queratina. A fêmea deposita os ovos em um pedaço de tecido e pode variar de 50 a 1.000 ovos por vez.

Traça casulo
Traça casulo

As larvas, fase em que são verdadeiras pragas, encontram-se, na sua maioria, dentro de casulos, e são facilmente encontradas se locomovendo pelas paredes transportando seu casulo. São consumidores de fibras animais, principalmente de lã, cabelos e de fungos. Podem ser encontradas em locais que ofereçam umidade e alimentos necessários para sua sobrevivência.

Traça do Livro
Traça do Livro

BIOLOGIA Tamanho: 0,85 a 1,3cm Longevidade: até 4 anos Coloração: acinzentada É encontrada principalmente nas casas, e raramente na natureza. A traça pode viver em uma variedade de lugares, incluindo cozinhas, banheiros, porões e sótãos. Alimentam-se de papéis, colas de capas de livros entre outros muitos substratos encontrados dentro das residências. Não ocasionam muitos danos dentro de casa, mas sua presença pode ser um grande incômodo para as pessoas. Não são vetores de doenças.

Taturana
Taturana

No Brasil existem aproximadamente 50.000 espécies de lepidópteros; apenas 16 espécies das Saturniidae e Megalopygidae possuem importância médica. As taturanas possuem cerdas pontiagudas que contêm toxinas (veneno). O contato com estas cerdas faz com que o veneno seja injetado na pele da vítima. O veneno causa dor intensa, sensação de queimação, vermelhidão e inchaço no local do contato. Os sintomas mais graves são hemorragias e problemas renais.